terça, 21 setembro 2021
Imagem da Notícia: Egressos da FEF participam do Projeto Acolher, oferecendo apoio psicológico durante a pandemia

Egressos da FEF participam do Projeto Acolher, oferecendo apoio psicológico durante a pandemia

O anúncio realizado no final de 2019 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de que estávamos diante de uma pandemia do novo coronavírus provocou várias mudanças na sociedade: muitas pessoas em quarentena; outras preocupadas por não poderem ficar em casa; escolas e universidades fechadas e trabalho home office – apenas algumas alterações que afetaram o cotidiano no mundo todo.

Em meio a isso, além da saúde física, é necessário oferecer uma atenção especial para a saúde mental, que pode sofrer com crises de ansiedade e até picos de estresse, afetando consequentemente o sistema imunológico. E para ajudar as pessoas na compreensão desse momento tão intenso e difícil, profissionais de psicologia estão realizando acolhimentos virtuais.

A Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF), em parceria com um Grupo de Psicólogos Voluntários (egressos da instituição) e com a Secretaria Municipal de Educação de Fernandópolis, criaram o projeto “Acolher”. A coordenação do projeto foi realizada pela coordenadora do curso de psicologia da FEF, Rádila Fabricia Salles e o psicólogo da Prefeitura de Fernandópolis, Washington Pissuto.

O projeto “Acolher” teve início em 5 de julho e ocorreu até o final do mês de julho, no qual foram realizados grupos psicoeducativos que tinham o propósito de abordar temas relacionados a saúde mental em tempos de pandemia, com 170 profissionais da educação da Rede Municipal de Educação de Fernandópolis. Os grupos aconteceram no formato on-line, pela plataforma Google Meet, com uma hora de participação semanal. A participação foi voluntária, dinâmica e primeiramente, focada nos estressores relacionados à doença ou nas dificuldades de adaptação às restrições do período de pandemia.

O objetivo do programa foi disponibilizar um espaço de apoio mútuo com compartilhamento de experiências e reflexão, respeito e sigilo. No grupo as pessoas puderam compartilhar angústias e pensamentos, e descobrir novas formas de lidar com seu sofrimento, receber apoio e apoiar os que viveram situações semelhantes, analisar seus sentimentos e conseguir olhar para eles de modo diferente.

Psicóloga voluntária, a pós-graduanda em Práticas Cognitivas Comportamentais da FEF, Pollyanna Florian, expressa como foi gratificante participar do projeto “Acolher” e observar na prática a importância do tema “saúde mental” no momento delicado que estamos vivendo. “O trabalho voltado para escuta, acolhimento e manejo de situações desafiadoras que envolvem suas emoções, saúde mental e o contexto da pandemia, traz um espaço de fala e troca de experiências extremamente enriquecedoras, não somente para os participantes como também para o psicólogo que está conduzindo. Acredito que resultados favoráveis ocorram a partir desta iniciativa, já que nota-se o contraste da dedicação que esses profissionais demandam à educação e os obstáculos que a pandemia trouxe, não somente no meio profissional, mas pessoal de cada indivíduo. Sou imensamente grata por ter a oportunidade de estar envolvida neste projeto”, relatou ela.

“O projeto “Acolher”, desenvolvido por psicólogos voluntários egressos da FEF, foi para a Secretaria Municipal de Educação de Fernandópolis, como um suporte para que pudéssemos contribuir com o cuidar emocional de nossos profissionais, que nos últimos meses, possam ter passado por situações de vulnerabilidade frente à pandemia do novo coronavírus. Mesmo quem não tenha sido diretamente afetado, teve contato com inúmeros indivíduos de seu círculo de amizade, que tiveram o resultado positivo para o Covid-19, desestabilizando emocionalmente, essas pessoas. Devemos a Rádila e ao Washington, a iniciativa da proposta de ouvirmos nossos profissionais. De imediato aceitamos o projeto e deixamos com eles a responsabilidade de organizar os trabalhos, o que foi um sucesso. Agradeço imensamente aos idealizadores do projeto “Acolher”, ao grupo de psicólogos voluntários, a FEF e principalmente, a todos os profissionais da educação que se inscreveram e participaram das atividades desenvolvidas”, disse o secretário Municipal de Educação, Carlos Cabral.

Mais Notícias

Faça seu comentário

Seu e-mail não será exibido!



Ir para o topo